30
jun-2010

Agressões a jornalistas em Mato Grosso e Minas Gerais revoltam a categoria

Notícias   /   Tags:

Dois casos recentes de agressão e cerceamento à liberdade de imprensa revoltaram os jornalistas brasileiros. Em Mato Grosso a repórter Márcia Pache, foi agredida com um tapa pelo vereador Lourivaldo Moraes (DEM). E em Minas Gerais, o jornalista da revista Tempo Fredi Mendes, que investiga denúncias de crimes de pedofilia, foi preso pela Polícia Federal sob a acusação de cometer os crimes que apura.

O presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, cobra da Câmara Municipal de Pontes e Lacerda (MT) e das autoridades do Mato Grosso uma punição exemplar ao vereador que “cometeu um delito inaceitável não só contra uma profissional, mas contra toda a categoria e contra a imprensa”. E no caso mineiro, Murillo considera que a Polícia Federal e o Ministério da Justiça “devem explicações a sociedade”. A entidade se solidariza com os colegas agredidos, coloca sua assessoria jurídica à disposição para o que for necessário e respalda as manifestações dos Sindicatos dos Jornalistas do Mato Grosso e de Minas Gerais, que seguem abaixo.

SINDJOR-MT EMITE NOTA DE REPÚDIO EM FAVOR DA JORNALISTA MARCIA PACHE

“O vereador Lourivaldo Rodrigues de Moraes (do DEM de Pontes e Lacerda), conhecido como Kirrarinha, agrediu com um tapa na cara a repórter Márcia Pache, da TV Centro Oeste (afiliada do SBT naquela cidade). A agressão aconteceu, hoje, dia 28 de junho, por volta das 11 horas, quando ele saía do CISC, onde foi formalmente indiciado por esbulho possessório e denunciação caluniosa. Márcia, que acompanhou o inquérito, o aguardava para uma entrevista.

Ao ser agredida, a repórter caiu e bateu com a cabeça no chão. Em seguida, rapidamente levantou-se e questionou o parlamentar. “Eu estou trabalhando, vereador. O senhor não tem vergonha pelo que acabou de fazer?”

Márcia, que trabalha há 15 anos com jornalismo no interior de Mato Grosso, fará amanhã exame de corpo delito e vai processá-lo.

O Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor-MT) vem publicamente, por meio desta nota, rechaçar a absurda agressão, colocar a assessoria jurídica da entidade à disposição e prestar solidariedade à repórter. A entidade lamenta que em pleno século XXI profissionais da imprensa ainda sofram esse tipo de intimidação, desrespeito e atentado contra a integridade fisica. O Sindjor ressalta que mesmo nas situações em que os ânimos estejam acirrados, é preciso manter o respeito pelo cidadão e pelos profissionais.

O Sindjor-MT acredita que a Câmara Municipal de Pontes e Lacerda não vai se omitir diante de tamanho absurdo e tomará as devidas providências, para que isso não se repita, levando em conta inclusive que esse vereador já agrediu a um outro repórter da TV Record. Uma pessoa que se presta a esse tipo de atitude não merece o respeito da sociedade e muito menos o voto de um cidadão.

Kirrarinha foi indiciado por incitar a entrada irregular de um casal necessitado em uma casa de um conjunto habitacional popular. Conforme inquérito policial, ele mandou fazer a cópia da chave da casa. O verdadeiro dono do imóvel denunciou o caso e o casal foi expulso e teria sido ignorado pelo vereador. O parlamentar também é acusado de ter obtido procuração para receber a aposentadoria de uma idosa de 74 anos, analfabeta e de não ter devolvido todo o dinheiro.

As imagens de toda a agressão do vereador contra a repórter foram transmitidas pelas duas emissoras de TV daquela cidade.

Veja a agressão aqui.

A DIRETORIA
28 de junho de 2010”

SJPMG – Jornalista é preso em Montes Claros por investigar crimes de pedofilia

Após publicar uma reportagem sobre pedofilia na edição de junho da revista Tempo, o jornalista Fredi Willian Teodoro Mendes foi preso pela Polícia Federal de Montes Claros, acusado de praticar os crimes que ele estava investigando.

O material reunido no computador pessoal do jornalista para a confecção da matéria foi usado pelos peritos federais para justificar a acusação da prática de pedofilia por parte de Fredi Mendes e a sua prisão em flagrante na tarde de ontem, 24, pela Polícia Federal.

Segundo a editora da revista, Patrícia Silva, o jornalista estaria trabalhando numa segunda reportagem sobre crimes na internet, quando foi acusado por uma denúncia anônima e preso.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais se solidariza com o jornalista e vai acompanhar o caso para que o profissional não seja punido pelo exercício da profissão. Os diretores da entidade, sobretudo Gustavo Mameluque que reside em Montes Claros, estão buscando formas de ajudar a esclarecer o caso e impedir que seja cometida uma grande injustiça com o companheiro.

O SJPMG repudia a forma como o caso vem sendo tratado pela Polícia Federal que, antes mesmo de esclarecer a situação, convocou uma coletiva de imprensa para divulgar a prisão do jornalista.

Nota da revista Tempo

A Revista Tempo, de Montes Claros, Minas Gerais, lamenta o fato ocorrido na tarde de quinta-feira 24 de junho, que resultou na prisão do jornalista Fredi Mendes, que faz parte da equipe de repórteres da Tempo, e que havia produzido em junho de 2008, na edição de número 36, a matéria de capa: Pedofilia: Crime que destrói Vidas” (que segue em anexo). A Revista Tempo informa ainda que, estava sendo apurada a denuncia de uma denunciante, de nome Cássia, que afirmou ter nomes e contatos de pessoas que cometiam o crime de pedofilia.

A diretora superintendente da revista Tempo, Patrícia Silva, informa ainda que “acredita na inocência do jornalista Fredi Mendes, e que toda esta situação será esclarecida o mais rápido possível”.

 

0

0

 likes / 0 Comments
Share this post:

comment this post


Click on form to scroll